Após o Ministro da Saúde afirmar que a Sputnik-V não é mais necessária, governadores enviam ofício de disponibilização

Após declarações do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmando que a vacina Sputnik-V não é mais necessária e que o país teria quantitativo suficiente de vacinas adquiridas, os governadores do Nordeste enviaram um ofício reafirmando a disposição de incorporação das doses adquiridas no Plano Nacional de Imunização (PNI), tendo em vista todos os esforços feitos pelos estados do Nordeste para adquiri-las e a entrega prevista já para o dia 28 de julho de 2021.

No documento, os governadores enfatizam que a tardia decisão da Anvisa que, apenas após decisão do Supremo Tribunal Federal, autorizou de forma excepcional a importação e o uso da vacina Sputnik-V, é fruto de árdua luta dos Estados Nordestinos e de outras regiões que, desde o início de 2020, têm empenhado esforços no combate à pandemia.

O ofício ressalta que a vacina Sputnik-V foi adquirida pelos Estados integrantes do Consórcio Nordeste diretamente do Russian Direct Investment Fund (RDIF), sem intermediários, com cronograma de fornecimento que assegura entregas imediatas em quantitativos que permitem a ampliação da imunização da população brasileira. Sem o retardo no processo de autorização e sem as arbitrárias condições restritivas impostas, que não consideram a situação calamitosa vivenciada pelos brasileiros e brasileiras que choram mais de 500 mil mortes pela Covid-19, já teriam sido vacinados com a Sputnik-V mais de 37 milhões de brasileiros, de acordo com o cronograma originalmente pactuado neste mês de julho.

Sputnik V (Foto: Reprodução)

Na oportunidade, os governadores se colocam a disposição para o diálogo e enfatizam a real situação do Brasil, onde os dados do próprio Ministério da Saúde dão conta de que apenas 34 milhões de pessoas em todo o Brasil estão imunizadas com as duas doses da vacina contra a Covid-19, correspondente a tão somente 15,98% da população, menos do que o quantitativo total da vacina Sputnik-V adquirida.

Mesmo observando os limites quantitativos restritivamente impostos pela Anvisa à Sputnik-V, da importação de quantitativo equivalente a 1% da população de cada um dos Estados requerentes, já estão prontas para a remessa ao Brasil, ainda neste mês de julho, o total de 1.600.000 (um milhão e seiscentas mil doses) da vacina.

No ofício, assinado pelo presidente do Consórcio Nordeste e coordenador do Fórum Nacional dos Governadores, Wellington Dias, os governadores mantém a posição de inclusão do imunizante no Plano Nacional de Imunização, por entender ser extremamente necessário para a ampliação da vacinação no país e solicitam um posicionamento formal e expresso do ministro da Saúde quanto à decisão de retirada da vacina Sputnik-V do PNI.

“O Ministério da Saúde deu sinal positivo para a compra das vacinas pelo Consórcio Nordeste e a da sua inclusão no PNI. O então Ministro Pazuello solicitou que enviássemos um documento para que esse acordo fosse formalizado. A proposta de acordo foi enviada ao Ministério da Saúde ainda no mês de março deste ano, mas até agora não tivemos resposta formal. Antes de tomar posse, o ministro Queiroga reafirmou o compromisso de que a vacina Sputnik-V integraria o PNI. Portanto, nos causa surpresa e estranheza as informações repercutidas da retirada da vacina do plano”, disse Wellington Dias.

Confira o ofício na íntegra: Oficio nº 32-2021- MS – Compra Sputnik-V – COVID19 – 19jul21

Com informações da assessoria 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *