Área de vegetação permanente é desmatada e queimada em Picos

Na manhã da última quinta-feira (4) Fiscais da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Picos realizaram uma inspeção em um terreno no Conjunto Habitacional Lousinho Monteiro. Durante a fiscalização foram constaram queimadas e desmatamentos, o órgão agora irá verificar a extensão do dano à natureza.

“Estamos verificando que aqui neste local houve um grande desmatamento, além de queimada, os quais são infrações ambientais gravíssimas. Agora iremos apurar a extensão dessa degradação”.

De acordo com o biólogo e fiscal da SEMAM, Vilmar Santos Luz, a secretaria vai apurar se houve ou não a intensão de queimada, pois segundo o biólogo a área é de grande vegetação. “Tudo leva a crê que foi criminosa. Houve intenção de queimar, até porque o que se pode perceber é que querem tirar a vegetação e a queimada ajuda nisso”, disse.

Ele informou ainda que a SEMAM tomou conhecimento através de denúncias de moradores da localidade que estão sofrendo com o efeito da fumaça.

“Nós recebemos denúncia dos próprios moradores aqui da comunidade Lousinho Monteiro que estavam sofrendo com o efeito da fumaça. Ou seja, além da agressão à natureza, houve agressão às pessoas, à vida humana. Então vamos ver qual a extensão do dano à natureza e conversar com algumas pessoas para saber o que elas têm”.

Segundo o fiscal a área é privada, pois existem máquinas trabalhando no local. Ele ressalta ainda, que mesmo sendo área privada, o dono não tem direito de fazer o que quiser. Ele precisa atender às normas e receber licença ambiental para qualquer trabalho.

“Independentemente disso [de ser área privada], aqui é uma área de vegetação permanente, onde deve ser preservada, seja privado ou do Estado. Temos aqui a vegetação caatinga, ao que tudo indica, em estágio primário. Temos também uma topografia bastante acidentada, com morros e um vale. É importante ressaltar, mais uma vez que, mesmo sendo área privada, o dono não tem direito de fazer o que quiser. Ele precisa atender às normas e receber licença ambiental para qualquer trabalho”, declarou.

grande picos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *