Empresa suspeita que incêndio no Aterro Sanitário de Picos teve origem criminosa

O coordenador da Concretize Construtora (empresa que administra o Aterro Sanitário de Picos), Vagner Ibiapino, acredita que o incêndio que assola o aterro desde a madrugada do domingo pode ter origem criminosa. Ele afirmou que registrará um Boletim de Ocorrência na delegacia sobre o ocorrido.

“Estou indo com o funcionário que estava na guarita. Ele viu o barulho de gente, os cachorros também latiram, aí ele deu uma volta e ouviu vozes, como se fossem caçadores, e voltou para a guarita, pouco tempo depois viu o incêndio se alastrando pelo lixo, então desde o domingo estamos trabalhando para tentar controlar”, explicou Vagner Ibiapino.

O coordenador informou que tratores e quatro caminhões-pipa, um cedido pela Prefeitura de Picos e outro pela Prefeitura de Geminiano, estão sendo utilizados para conter as chamas. Indagado se os bombeiros também estavam participando desse trabalho, Vagner informou que ligou para eles no domingo pela manhã, mas ouviu como resposta que eles não poderiam dar suporte nesse caso.

“Eles nunca disponibilizaram nem um carro para fazer esse trabalho; foram feitas várias ligações solicitando a ação do Corpo de Bombeiros para ajudar no combate ao incêndio, e eles disseram que não tinham essa autorização para ajudar, a única que se disponibilizou a ajudar e está ajudando é a Prefeitura de Picos”, relatou.

Até o fechamento dessa matéria a equipe da empresa ainda lutava para controlar as chamas. A Concretize Construtora administra o lixão de Picos desde o dia 13 de julho.

Os bombeiros

Nós entramos em contato com o comandante do Corpo de Bombeiros de Picos, tenente Hamilton, para saber os motivos da não participação dos militares nesse trabalho de contenção das chamas no Aterro Sanitário. Ele explicou que os bombeiros atuam quando há risco ao patrimônio, como não há residências nas imediações, esse trabalho recai sobre a Secretaria de Meio Ambiente, pois, segundo explicou, não é um incêndio, mas fogo, portanto, o dano é ambiental.

O comandante explicou ainda que os bombeiros poderiam participar no combate ao fogo no aterro mediante parceria com a prefeitura. E disse que a unidade recebeu apenas uma ligação no domingo pela manhã.

piaui em foco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *