Ex-advogado de Najila acredita em possível acordo com Neymar fora dos autos

O advogado Danilo Garcia de Andrade, ex-representante de Najila Trindade, entregou uma petição à delegada da 11ª Delegacia de Polícia de São Paulo, Monique Patrícia de Lima. No documento ao qual o UOL Esporte teve acesso, Danilo esclarece os passos que acompanhou do inquérito policial enquanto esteve à frente da defesa de Najila e diz que acredita que a modelo e Neymar”possam ter se entendido fora dos autos”.

O ex-advogado afirma crer ainda que Najila teria sido orientada por pessoas próximas a produzir provas e a gravar o segundo encontro com Neymar em Paris.

“Acredito que algo de relevante aconteceu na primeira noite dela com o jogador Neymar no quarto em Paris. E que deste ocorrido, Najila, ao desabafar, teria sido instruída a gravar o jogador no dia seguinte e, dessa forma, outras pessoas ligadas à Najila de forma direta ou indireta construíram toda a situação que acompanhamos até o presente momento”, diz trecho do documento.

“Assim, analisando os fatos como advogado criminalista, diria eu que as partes, Neymar e Najila, possam ter se entendido fora dos autos, fazendo assim com o que o conteúdo e/ou continuação do vídeo de 01 minuto e 06 segundos já não seja mais divulgado”.

Danilo, no entanto, diz não ter provas de qualquer entendimento entre eles. “Esclareço que, enquanto advogado, jamais participaria de tal empreitada e muito menos tenho conhecimento de que ela de fato ocorreu”.

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa de Neymar não deu declarações sobre o “suposto entendimento entre as partes”.

O advogado afirma ter esperado a conclusão do relatório da delegada da 6ª DDM Juliana Bussacos para se pronunciar para não prejudicar ou influenciar o trabalho da autoridade policial. Sua ideia com o documento é esclarecer os fatos que foram levados ao conhecimento das autoridades e da sociedade por considerar que sua honra foi violada. “Toda vez que a honra do advogado é violada, é com ela violada a honra de toda a advocacia”.

O sumiço do vídeo

No documento, o advogado questionou a postura da ex-cliente ao se negar a entregar provas que ela dizia ter contra o suposto agressor. À época, ele ameaçou deixar o caso se Najila não apresentasse as provas que afirmava ter.

“Esclareço que me estranha a postura de uma vítima de estupro que diz ter provas que corroborem suas alegações e, ao decorrer de sua instrução de defesa, ela faz, à revelia de seu defensor, manobras para dificultar a entrega das provas. Acredito que talvez este vídeo do celular tenha mais valor e relevância e seu conteúdo jamais aparecerá”.

“Acredito que este vídeo do celular tenha mais relevância no que corresponde ao seu conteúdo se não aparecer. Digo isso, pois ninguém vê qualquer deles (Neymar e/ou Najila) levantar e desligar a gravação. Então, se existe mais um minuto, mais cinco minutos de vídeo, eu particularmente não sei dizer porque não vi. Mas acredito que a sua continuação deva sim existir”, afirma. Najila chegou a acusá-lo de ter furtado o tablet com o vídeo em questão. Em 12 de junho, Danilo prestou esclarecimentos à polícia sobre a acusação e deixou o caso.

Danilo disse na petição que trouxe elementos aos autos de que a Justiça está sendo violada “e a necessidade de não se obstruir a busca pela verdade, ainda que isso signifique mudar a condição de uma vítima para averiguada e quiçá réu ou na melhor interpretação de legalidade autora ré”.

O atual advogado de Najila Trindade, Cosme Araújo, considerou a postura de Danilo “um blefe” e o desafiou a provar suas suspeitas.”Ela está comigo como advogado e em nenhum momento eu fiz qualquer tipo de acordo com alguém ligado ao pessoal do senhor Neymar. E ela não conversou com ninguém em relação a isso. Tem até um advogado de Santos que estava querendo ser advogado dela, mas diante de uma suspeita que ele poderia estar conversando com esse pessoal, ele foi descartado. Em relação a isso, você pode garantir que não existe nada”, disse.

UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *