Governador quer tirar 200 mil da faixa de analfabetismo até 2020 no Piauí

Com Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) em Educação com nota de 0,697 em 2017, o governador do Piauí quer chegar a nota 0,7 em 2020, considerada de alto desenvolvimento. Para chegar a esse resultado, o governador Wellington Dias (PT) assinala ter como meta retirar 200 mil pessoas do analfabetismo.

Em entrevista à TV Cidade Verde nesta segunda-feira (22), Wellington Dias, aponta que os 16% da população ainda é analfabeta, é uma das prioridades na área educacional. O estado possui hoje cerca de 407 mil pessoas nessa situação. “Se conseguirmos tirar 200 mil pessoas dessa situação, vamos reduzir para pouco mais de 7% de pessoas não escolarizadas”, sugere Dias.

Para explicar os avanços dos índices educacionais do Piauí, o governador aponta para o crescimento do Ensino Médio. “Saímos de 145 escolas de ensino médio, normalmente em cidades maiores, e chegamos a essa rede com 670 escolas públicas. Chegamos a educação profissionalizante em todos os municípios”. Com o aumento do número de escolas, o estado saiu de 400 mil pessoas com o ensino Médio para mais de 1,5 milhão.

A meta do governo também é estender o período de formação educacional.“Ampliar para mais pessoas se aproximarem de 10 a 12 anos de escolaridade, com um emprego”, revela.

Atualmente, os índices nacionais apontam que 97% dos alunos piauienses estão matriculados e assíduos. O governo pretende não deixar as taxas de abandono e repetência crescerem. Segundo Wellington, o governo tem buscado parcerias com instituições como Unibanco, Fundação Lemann e FGV.  O objetivo é combater deficiências em disciplinas base como Português e Matemática.

Educação em Tempo Integral

O formato de educação integral e profissionalizante é um dos carros chefe do programa de governo de Wellington Dias. Segundo ele, o Piauí desenha um novo molde de tempo integral que é piloto no Brasil.

A ideia, trabalhada com o Ministério da Educação e pactuada com o Conselho Estadual, pretende ofertar tempo integral nas escolas estaduais sem reduzir o número de vagas. Espaços como bibliotecas, quadras de esporte e cine teatros seriam reforçados como ambientes de atividades complementares. “Se eu tenho isso, tenho espaço para reforço escolar, ensino de língua espanhola e inglesa, espaço para profissionalização”.

Com a profissionalização, o governador afirma investir em uma população com mais autonomia  na carreira. “Formar não só para ser empregado, mas para empreender, ser empreendedor”

Dias ainda pontuou o percentual baixo de participação da União no Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef). O estado contribui com 60% dos recursos, 30 % advindos dos municípios e 10% da União. “Estamos queremos colocar o fundo social da área de gás e petróleo para este objetivo”, informou Dias sobre o aumento de contribuição da União para 20%.

Educação Superior

Atualmente 182 municípios possuem centros de formação em ensino superior. A promessa do governo é instalar novos polos em 42 municípios até o final de 2019.

Por Valmir Macêdo
valmirmacedo@cidadeverde.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *