Máquina de raio X utilizada em vistorias está quebrada há mais de um ano em presídio no Sul do Piauí

A máquina de raio X está quebrada há mais de um ano no presídio de Floriano, Sul do Piauí. O equipamento é utilizado pelos agentes penitenciários durante vistoria das visitas para coibir a entrada de materiais ilícitos.

Na Penitenciária de Parnaíba, a máquina quebrou faz uma semana, ao mesmo tempo em que uma boca de fumo foi descoberta dentro de uma das celas. De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Piauí (Sinpoljuspi), um dos detentos confessou ser o proprietário da droga e que ele fazia a venda no presídio.

“A falta desses equipamentos facilita a entrada de drogas e outros materiais ilícitos, além de dificultar o trabalho dos poucos servidores. As vistorias estão sendo feitas manualmente pelos agentes, mas não temos garantia de coibir a entrada desse material”, comentou o presidente do Sinpoljuspi, Kleiton Holanda.

A Secretaria de Justiça (Sejus) ficou de se posicionar sobre o caso, mas até a publicação da matéria não enviou nota.

Superlotação

Outro problema que também prejudica a fiscalização nos presídios, segundo o sindicato, é a superlotação. Imagem feita esta semana mostra uma cela da Penitenciária Mista de Parnaíba com 40 presos, sendo que a capacidade seria para apenas oito homens. Atualmente o presídio encontra-se com 679 detentos, sendo que tem vaga apenas para 157 presos.

“Esta é a situação precária dos nossos presídios, sem equipamentos para fiscalização, superlotados e com poucos agentes, sendo que temos 166 aprovados no último concurso aguardando o curso de formação”, declarou Kleiton Holanda.

Fonte: G1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *