Marta usa batom durante jogo e pode ter infringido regra da Fifa

A Fifa tem seis patrocinadores oficiais e não permite que outras marcas façam propaganda de produtos durante seus eventos esportivos. A decisão de Marta de usar um batom da empresa Avon durante a vitória sobre a Itália levantou discussão: teria a camisa 10 infringido a regra da entidade máxima do futebol mundial?

O regulamento estipula dois tipos de “marketing de emboscada”: por associação direta, quando a empresa em questão tenta ligar seu nome ao torneio e leva o público a pensar que é parceira da Fifa, e por “intrusão”, quando a companhia aproveita a audiência de uma competição e convence um atleta a anunciar seu produto, muitas vezes, fingindo espontaneidade.

Teria Marta cometido o segundo tipo? Seu estafe acredita que a camisa 10 não praticou marketing de emboscada ao entrar em campo com o batom, nem mesmo ao falar sobre ele após a partida. O empresário Fabiano Farah afirmou que a jogadora só falou sobre a Avon depois de ter sido perguntada: “O ato do endosso não foi provocado por ela”, disse.

“Em nenhum momento a Marta arquitetou ou provocou qualquer ação para com o endosso direto de uma determinado marca ou produto. O uso do batom é um direito de âmbito pessoal de uma atleta fazer uso ou não. Exemplo: esmalte de unha, prendedor de cabelo, maquiagem em geral, etc. A Marta estava no pleno e fiel exercício de sua atividade profissional e, de forma espontânea e aleatória, solicitaram uma entrevista com ela e fizeram uma pergunta diretamente relacionada ao uso do produto”, declarou Farah, em nota.

Após o jogo da seleção feminina, a Avon usou o Instagram para publicar a seguinte mensagem nos stories: “Nossas garotas deram show e o batom Power Stay também marcou um golaço! Fiquem de olho que em julho ele vem aí!”.

Fonte: Uol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *