No PI: Polícia Civil prende quadrilha suspeita de fraudes em registro de veículos no Detran

Polícia Civil do Piauí, por meio da Delegacia do 13º Distrito Policial, prendeu quatro homens em um condomínio de luxo da Zona Leste de Teresina. Os suspeitos são investigados por participação em uma quadrilha de fraudes em registro de veículos em todo Brasil, principalmente contra o Detran no Piauí, com um prejuízo que pode chegar a R$ 20 milhões.

O delegado Odilo Sena, do 13º Distrito Policial, informou que em parceira com o Departamento Estadual de Trânsito do Piauí (Detran-PI) foi iniciada uma investigação após a suspeita de fraudes, com pessoas tentando registrar veículos que já possuem emplacamento.

“Estamos há quatro meses investigando uma série de fraudes no Detran e aparentemente a quadrilha é muito grande, são muitos núcleos de crimes, são bem divididos e articulados. Eles falsificam documentos de veículos, chamam laranjas de outros estados para vir para o Piauí, alugam apartamentos de luxo por seis meses a um ano e começam a fazer transferência de veículos ou emplacamento de veículos clonados ou que não existem”, afirmou o delegado.

Prisões

Um dos suspeitos foi preso no Detran-PI — Foto: Mariana Alves/G1

Um dos suspeitos foi preso no Detran-PI — Foto: Mariana Alves/G1

Odilo Sena explicou, que em parceria com o Detran, uma equipe foi até a sede do órgão nesta sexta-feira (9) e aguardou até que algum membro da quadrilha fosse aplicar o golpe.

“Fizemos campana no Detran com ajuda do diretor e de alguns servidores. Um dos suspeitos levou a documentação para fazer o emplacamento de um veículo, que estava com o preço abaixo do mercado. Eles apresentaram o CNPJ de uma empresa e a nota fiscal como se fosse da montadora”, explicou o delegado.

O criminoso tentou fraudar a documentação de um veículo Volkswagen Tinguan. “O menor preço desse veículo é em torno de R$ 145 mil para comprar, mas na nota estava em R$ 110 mil, o que levantou a primeira suspeita, já que não existe essa venda de valor redondo. Outro problema é o valor baixo, porque mesmo comprando em São Paulo, não seria esse valor. Quando foi colocado no sistema nacional do Denatran foi constatado que o veículo já tinha sido emplacado em São Paulo”, afirmou.

O homem que estava tentando a clonagem do veículo foi preso. Os policiais descobriram que ele estava hospedado em um condomínio de luxo na Zona Leste de Teresina.

No local, os policiais encontraram mais três homens que foram presos, além de 30 celulares, bebidas, computadores e notebooks, que podem ser provenientes de roubos. Duas motocicletas também foram apreendidas.

Quadrilha com atuação nacional

Delegado Odilo Sena — Foto: Renan Nunes /TV Clube

Delegado Odilo Sena — Foto: Renan Nunes /TV Clube

O delegado Odilo Sena explicou que a investigação é recente e que essas foram as primeiras prisões. Os suspeitos ainda serão ouvidos, mas ele acredita é um esquema nacional, com participação de muitas pessoas e que pode ter um prejuízo de R$ 20 milhões.

“A investigação é gigante. O Detran estava sendo enganado, estava sendo usado como uma lavanderia. Carros que nem existem estão no sistema e outros carros clonados, muitos carros clonados rodando pelo país inteiro, sendo que foram emplacados pelo Detran. Com o 13º DP e a nova gestão do Detran, estamos começando a ter êxito, mas ainda tem muita coisa. A fraude é gigantesca, o prejuízo pode chegar a R$ 20 milhões”, destacou.

O delegado afirmou que como a atuação da quadrilha deve ser nacional, é ainda impossível dizer se os veículos adquiridos para a clonagem foram roubados ou se eles realmente existem.

“Começamos agora, mas já temos a certeza que esse é um esquema gigante. É impossível dizer nesse momento como realmente essa quadrilha atua. Temos que investigar bem, porque pode ser que sejam veículos roubados, que são clonados e vendidos para pessoas de boa fé, já que eles tinham documentos emitidos pelo Detran. Pode ser também que esses carros nem existem, que a fraude possa ser contra o sistema financeiro nacional, que financia, dá empréstimos para carros que nem existem. Então tudo será devidamente investigado”, destacou o delegado.


Fonte: G1 PI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *