Oito cidades estariam aptas para imunização em massa no Piauí; entenda!

As doses da vacina Sputnik V, da Rússia, que serão importadas após autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) na sexta-feira (4), serão usadas para imunizar cidades inteiras, como em experimentos feitos em cidades de São Paulo, informou o governador Wellington Dias, no sábado (5).

Neste mês, o Piauí recebe 66 mil doses do imunizante russo, nisso, o líder piauiense declarou que  os governadores do Nordeste estudam aplicar o primeiro lote em uma cidade de cada Estado.

Imunizante russo é produzido pelo Instituto Gamaleya, Piauí deve receber 66 mil doses (Foto: Divulgação)

Imunizante russo é produzido pelo Instituto Gamaleya, Piauí deve receber 66 mil doses (Foto: Divulgação)

Segundo ele, ideia é reproduzir um experimento realizado na cidade de Serrana (SP), pelo Instituto Butantan, para avaliar a eficácia da CoronaVac.

“A ideia que a gente discutiu hoje é de, provavelmente, escolher cidades. Piauí, por esse 1%, duas doses, vai receber 64 mil doses. Vamos escolher uma cidade que tenha mais ou menos 32 mil pessoas para vacinar. Vamos aplicar a primeira e a segunda dose, como foi feito em Serrana, acompanhado pelo Butanta. E assim, cada um dos Estados. É mais ou menos essa a ideia”, disse.

Oito cidades estariam ‘elegíveis’ para a experiência – Tomando como base a expectativa do governador em aplicar a vacinação em massa em um município com contingente populacional similar ao de doses entregues, oito cidades estariam elegíveis para a experiência: Luís Correia (30.438 habitantes), Miguel Alves (33.833), São Raimundo Nonato (34.877), Oeiras (37.085), Pedro II (38.778), José de Freitas (39.336), Esperantina (39.848), e Altos (40.605) – o município entra na lista pois já vacinou mais de 6 mil pessoas.

Cabe indicar que a Anvisa autorizou a importação excepcional e temporária de doses da Sputnik V feita pelos estados da Bahia, Maranhão, Sergipe, Ceará, Pernambuco e Piauí, além da vacina indiana Covaxin.

Ao todo, poderão ser importadas inicialmente 4 milhões de doses da Covaxin e outras 928 mil da Sputnik V.


Fonte: Meio Norte

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *