PT solta nota em repúdio à transferência de Lula: “perseguição”

O partido dos Trabalhadores (PT), sigla do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, publicou nota em repúdio à transferência do petista da carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, a São Paulo, autorizado pela juíza substituta Carolina Lebbos, da 12ª Vara Federal de Curitiba, nesta quarta-feira (07/08). Para os correligionário, trata-se de uma “perseguição” e uma “ilegalidade” do processo. As informações são do Metrópoles.

O petista está preso em Curitiba desde abril de 2018, quando foi condenado a 8 anos de cadeia no caso do triplex do Guarujá. Na decisão que autoriza a transferência, Carolina destaca os custos humanos e financeiros para manter o ex-presidente na Superintendência da Polícia Federal. Ele foi condenado pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva no âmbito da Operação Lava Jato e cumpre pena na sede da Superintendência da Polícia Federal.

Segundo o texto, a mudança de cárcere foi de exclusiva responsabilidade da Superintendência da Polícia Federal do Paraná, agindo como forma de retaliação à defesa de Lula. “A decisão da juíza Carolina Lebbos caracteriza mais uma ilegalidade e um gesto de perseguição a Lula, ao negar-lhe arbitrariamente as prerrogativas de ex-presidente da República e ex-Comandante Supremo das Forças Armadas”, destacou.

Além disso, a legenda insistiu que o ex-presidente seria “inocente” e estaria sofrendo uma “farsa judicial”. “Lula não deveria estar preso em lugar nenhum porque é inocente e foi condenado numa farsa judicial. Não deveria sequer ter sido julgado em Curitiba, pois o próprio ex-juiz Sergio Moro admitiu que seu processo não envolvia desvios da Petrobras investigados na Lava Jato”, diz trecho da nota.

Com a manifestação, o PT pede pela segurança pessoal do ex-presidente e pelo cumprimento dos direitos de Lula. O texto foi assinado pela dirigente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, pelo líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta, e pelo líder do PT no Senado Federal, Humberto Costa.

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também reclamou da decisão da juíza. O advogado Cristiano Zanin pede a suspensão da análise do pedido da Superintendência da Polícia Federal até o julgamento final do habeas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) – quando será analisado o pedido de nulidade da condenação do ex-presidente no caso do triplex do Guarujá.


Fonte: Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *