Sindicalista denuncia redução de 14 funcionários no Banco do Brasil de Picos

O diretor do Sindicato dos Bancários do Piauí – Regional de Picos, Antônio Libório, denuncia a redução do número de funcionários da Agência Centro do Banco do Brasil e da Agência São Benedito, localizada na Av. Senador Helvídio Nunes de Barros (BR-316). Atualmente, a primeira conta com os serviços de 38 servidores, mas esse número pode cair para 28, se os planos de enxugamento do funcionalismo público do Governo Federal forem concretizados. A segunda perderá quatro servidores.

“Você imagine uma agência com 28 funcionários para atender toda essa população, além do mais estamos com Francisco Santos, Santa Cruz, Inhuma, Pio IX, Jaicós, tudo sem funcionar a parte de numerário, dependendo aqui de Picos”, comentou.

O sindicalista esperava que houvesse uma reação da população ante o desmanche do funcionalismo público e o prejuízo que isso implica para as pessoas que precisam dos serviços do banco de uma forma geral. “Fico triste com a população aceitando tudo isso, pois todas essas cidades da região, os aposentados, tem de vir a Picos para resolver qualquer coisa, fazer um depósito, sacar um dinheiro, podendo fazer isso em Jaicós, uma cidade de porte médio e hoje sem funcionários”, lamentou.

Os 14 funcionários que serão deslocados do Banco do Brasil de Picos, não terão escolha. Simplesmente serão designados para outras cidades e estados. Caso se recusem, poderão ser demitidos.

Agência Centro do Banco do Brasil de Picos

O Banco do Brasil também está dando “incentivos” para a demissão “voluntária”, através da qual o servidor recebe nove salários brutos de uma vez, para se desligar da instituição. “Não anima muito, porque sair do banco recebendo R$ 40 ou R$ 60 mil, que negócio você cria hoje para suprir o que você recebia de salário mensal aqui no banco?”, questionou.

Durante os governos Lula e Dilma o Banco do Brasil chegou a R$ 110 mil funcionários em todo o país, com a realização de concursos públicos periodicamente. Na atualidade conta com 90 mil, mas a ideia do atual governo é reduzir ainda mais esse número.

folha atual

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *