Avanço nas políticas públicas reduz número de pessoas com deficiência no Piauí, avalia Mauro Eduardo

A Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), divulgada essa semana, mostra que o Piauí agora é o quinto estado brasileiro com maior percentual de pessoas com deficiência. A pesquisa é realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e traz dados de 2019.

De acordo com a pesquisa, o Piauí tem 9,7% da população com dois ou mais anos de idade (308 mil pessoas) com algum tipo de deficiência –  visual, auditiva, motora, mental ou intelectual. Em 2001 o Piauí tinha cerca de 27% da população com algum tipo de deficiência.

Para o secretário estadual da Inclusão da Pessoa com Deficiência (Seid), Mauro Eduardo, o resultado da pesquisa é reflexo do avanço das políticas públicas de prevenção e de inclusão das pessoas com deficiência desenvolvidas no Piauí nos últimos 18 anos.

“Em 2001, o Piauí era o terceiro estado com o maior número de pessoas com deficiência do Brasil. Mais de 27% da população tinha alguma deficiência. Em 2010, foi o quarto. Hoje, é o quinto estado do Brasil em número de pessoas com deficiência. Esse resultado certamente foi impactado pelas politicas de prevenção e inclusão da pessoa com deficiência, como a universalização do teste do pezinho, que antes era realizado gratuitamente apenas na APAE e hoje é realizado em todo Piauí. O teste do pezinho pode identificar e ajudar a prevenir algumas deficiências”, explica Mauro Eduardo.

A pesquisa do IBGE mostra que apenas 1,9% das crianças piauienses de dois a nove anos possuem alguma deficiência.

O secretário pontua ainda que a Rede Estadual de Reabilitação, presente em todas as regiões do Piauí, além de proporcionar inclusão e qualidade de vida para as pessoas com deficiência, também consegue evitar que muitos casos deficiências temporárias, frutos de acidentes, por exemplo, se tornem permanentes. “Temos avançando muito. Hoje temos três centros de reabilitação de alta complexidade e mais 53 de nível 1 pelas diversas regiões do estado; além dos seis centros especializados em educação”, destaca o secretário.

Mauro Eduardo disse ainda que o resultado da pesquisa mostra que “devemos continuar esse trabalho de capacitação e prevenção, por um lado, e por outro, devemos avançar ainda mais para que as pessoas com deficiência no Piauí tenha sua autonomia valorizada e possa viver com dignidade”.

Universalização do Teste do Pezinho
Atualmente, o programa de triagem neonatal, com o teste do pezinho, atende a todos os 224 municípios do Piauí. O Teste do Pezinho, nome popular para o Programa Nacional de Triagem Neonatal Biológica, é uma das principais formas de diagnosticar doenças genéticas e hereditárias que, quanto mais cedo forem identificadas, melhores são as chances de tratamento.

Rede de atendimento é ampliada
O secretário Mauro Eduardo destaca os novos centros de reabilitação que contribuem com a descentralização dos serviços de saúde e para a melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência do Piauí. Além do Centro integrado de Reabilitação (CEIR), em Teresina, o estado conta agora com o Centro Especializado em Reabilitação (CER II) de São João do Piauí e com o do Centro Especializado de Reabilitação (CER IV) de Parnaíba.

“O Piauí tem avançado na elaboração e execução de políticas públicas para as pessoas com deficiência e quando recebemos pesquisas como essa do PNS 2019, que mostra a redução no percentual de pessoas com deficiência no estado, sabemos que estamos no caminho certo”, finaliza Mauro Eduardo, secretário da Seid.


Fonte: Com informações da assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *