Georgiano Neto avalia atuação no Legislativo no primeiro semestre como bastante positiva

O deputado estadual Georgiano Neto (PSD) avaliou como positiva a sua atuação na Assembleia Legislativa (Alepi), no primeiro semestre deste ano. O parlamentar explicou que, mesmo com a pandemia, conseguiu apresentar projetos e a Casa realizou importantes atividades, inclusive aprovando leis em benefício da população do Piauí.

Segundo Georgiano Neto, a adoção de novos formatos para a realização de reuniões e sessões plenárias não foi empecilho à atividade parlamentar.  “A minha avaliação é positiva. Mesmo em um momento tão difícil, marcado pela pandemia, conseguimos apresentar importantes proposições em favor da população. O saldo é positivo”, analisou.

O parlamentar acredita que nos próximos meses deve se repetir o desempenho da primeira metade do ano. “Espero que tenhamos um segundo semestre, apesar de curto, produtivo e com importantes resultados em favor do Piauí”, afirmou.

O deputado defendeu ainda a importância do mandato parlamentar mais próximo da população. “Um parlamentar não pode ficar preso somente à atividade legislativa. Temos que manter uma presença marcante junto à população. Mesmo durante o recesso, temos realizado visitas aos municípios e monitorado obras viabilizadas pelo nosso mandato em parceria com o governo. Colocamos o nosso mandato à disposição de todos aqueles que nós representamos”, ressaltou.

PROPOSTAS – Sobre as propostas apresentadas no primeiro semestre, o deputado comentou sobre a importância do Projeto de Lei Ordinária (PLO) N° 25/2021, que institui o Programa “Minha Primeira Empresa”. O PLO tem o objetivo de estimular a criação de novas empresas no Piauí.

“Essa proposta foi uma idealização que aconteceu em conjunto com a nossa equipe, justamente, em um momento difícil em que as empresas têm fechado as suas portas em razão da pandemia. Trata-se de um Projeto em que o governo, por meio da Agência de Fomento e Desenvolvimento do Estado, firmará parcerias e financiará novos negócios”, explicou. A matéria aguarda parecer da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Alepi.


Fonte: Alepi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *