Mulher quase é degolada por linha de pipa ao passar de moto em rua a caminho do trabalho

Uma moradora do bairro Paciência, identificada como Eusirene Ferreira do Nascimento, de 29 anos, quase teve o pescoço cortado por uma ‘linha de pipa’ na última terça-feira (06/07), em Piripiri. Quando se deslocava para o trabalho em sua moto, ela percebeu que seu rosto e pescoço estavam tomados pela linha. As informações são do Repórter10.

“A minha sorte foi que eu ia devagar na moto e recebi ajuda de duas pessoas, caso contrário o pior teria acontecido”, relata. Mesmo com alertas e exemplos com vítimas, crianças, adolescentes e até adultos continuam nas ruas com pipas e, pior, a maioria, com o cerol.

A vítima deixa um alerta: “às mães, as pessoas que soltam pipa nas ruas têm consciência que podem matar e isso não é brincadeira.”

A simples utilização de cerol em linhas de papagaios já caracteriza, independentemente de qualquer resultado, o crime previsto no art. 132 do Código Penal: expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente, com pena de detenção de 3 meses a 1 ano, se o fato não constituir crime mais grave.

Além disso, a legislação prevê que em caso de crianças, os pais da criança serão processados pela Promotoria de Justiça pela infração administrativa prevista no art. 249 do Estatuto da Criança e Adolescente e estarão sujeitos ao pagamento de multa de 3 a 20 salários de referência, sem prejuízo de sua responsabilidade criminal e civil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *