Programas do SENAI incentivam a produtividade do setor industrial

A qualificação profissional de colaboradores é um dos principais requisitos de toda empresa. No Brasil, existem programas de incentivo à produtividade das indústrias e empresas que contribuem para a capacitação e requalificação de funcionários, geração de empregos, como também o aumento de produtividade do setor empresarial. O Emprega Mais e Brasil Mais são programas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) em parceria com o Ministério da Economia, que visam estimular a produção e desenvolvimento das empresas.

No Piauí diversas empresas já têm acesso aos programas e apostam na capacitação de seus colaboradores. Islano Marques, gestor da Área Internacional e de Mercado do Sistema da Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI), explica como funcionam as iniciativas. “O Brasil Mais, com a consultoria de manufatura limpa no seu processo produtivo, promove uma garantia de pelo menos 20% no ganho de produtividade da empresa. A empresa deve aplicar tudo que a metodologia emprega na capacitação e terá a certeza que ao final do processo, que dura em média dois meses e meio, obterá um ganho mínimo de produtividade de 20%”, disse.

No Emprega Mais, a iniciativa tem por objetivo a geração de emprego e o incremento da produtividade das empresas. Os cursos oferecidos disponibilizados são focados nas competências socioemocionais e no aperfeiçoamento das habilidades da força de trabalho das empresas. As micro, médias e pequenas empresas podem aderir ao programa em duas modalidades: voucher requalifica e voucher novo emprego. Já as grandes empresas podem aderir a modalidade novo emprego.

Islano Marques comenta os benefícios do programa Emprega Mais e sua aplicação. “O Emprega Mais visa não só aquele colaborador que já está na empresa, mas também ao que está desempregado. Ao colaborador contratado será oferecido uma requalificação para aumentar a produtividade, ele será colocado na vanguarda do que vem acontecendo na sua posição de trabalho. A qualificação do programa também é voltada para os colaboradores que estão desempregados e a empresa tenha interesse em qualifica-los para admiti-los ou ficarem no banco de talentos reservados para quando for necessário, a empresa inseri-los no seu quadro de funcionários”, conclui o gestor do Sistema FIEPI.


Fonte: Com informações da assessoria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *