Vídeo: Simulação mostra como vírus se espalha, apesar do uso de máscara

0
485

Em meio à pandemia de Covid-19, o uso de máscaras de proteção tem sido recomendado por entidades de saúde para conter a disseminação do novo coronavírus. No entanto, uma simulação realizada por pesquisadores da Universidade de Nicósia, no Chipre, mostra que, apesar de reduzir as chances de transmissão, a proteção não impede que gotículas produzidas ao tossir, espirrar, falar e, até mesmo, respirar se espalhem pelo ambiente. As informações são do Metrópoles.

Os autores do modelo consideraram condições climáticas, turbulência do ar e temperatura da pele e da boca de uma pessoa doente para montar simulações computacionais. Os resultados foram divulgados na terça-feira (16/06), na revista científica Physics of Fluids.

Os testes foram baseados em uma máscara cirúrgica padrão e mostraram que, o uso dela bloqueia o jato de gotículas contaminadas para a frente, mas permite vazamentos ao redor da parte superior, inferior e lateral. De acordo com o trabalho, algumas partículas podem alcançar mais de 1,2 metro antes de caírem em uma superfície.

A proteção fornecida pela máscara se torna menos eficiente no caso de a pessoa tossir repetidas vezes pois a pressão aumenta e o jato de ar com as gotículas acaba sendo direcionado para frente. “Embora as máscaras cirúrgicas e N95 desacelerem o jato turbulento, nenhuma delas impedirá que as gotículas penetrem totalmente ou escapem da máscara”, diz o texto. Após dez ciclos de tosse, a eficiência pode cair em até 8%.

Os autores do estudo, Talib Dbouk e Dimitris Drikakiss, concluíram que, sem usar máscara, as gotas viajam, em média, por cerca de 70 cm. Com a proteção, essa distância é reduzida pela metade. No entanto, em ambos os casos, ainda existem gotículas isoladas transmitidas além de 70 cm.

“As implicações da eficiência reduzida da máscara e da transmissão de gotículas respiratórias para longe da máscara são ainda mais críticas para os profissionais de saúde”, destaca o texto, sugerindo que os profissionais incluam o uso de capacetes com filtros de ar embutidos, protetores faciais, aventais descartáveis ​​e conjuntos duplos de luvas.

Por isso, mesmo com a máscara, é importante respeitar o distanciamento social de, pelo menos, 2 metros. Na última semana, a Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou o documento que faz recomendações sobre o item de proteção individual e destacou que elas sozinhas não são suficientes para evitar a disseminação do coronavírus.

metropoles

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here