W. Dias descarta voltar a decretar medidas mais “drásticas” no PI devido risco de Covid e variante Delta

O governador Wellington Dias (PT) sinalizou, em entrevista ao OitoMeia, que no momento, está descartada a possibilidade de um novo fechamento do comércio e determinação de medidas de isolamento mais rígidas no Piauí. Diante da ameaça da variante Delta do coronavírus — a mais contagiosa das cepas já catalogadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS),gestores gestores tem recuado e repensado as reaberturas.

O governador frisou seguir as recomendações do Comitê de Operações Emergenciais (COE) e que para ele a redução do número de óbitos em decorrência da Covid-19 é a prioridade, e que fará o que for necessário. Porém, na avaliação dele, os indicadores do vírus no estado apontam para que já não seja necessária a adoção de “medidas drásticas”.

“Trabalho para que a gente não tenha [que fechar novamente]. É claro que em primeiro lugar a vida, somos parte do que chamo de pacto pela vida, e o que for necessário fazer, vamos fazer. Porém, acho que existe um caminho seguindo a ciência e sou grato ao nosso povo que tem contribuído, estamos avançando para não precisar de medidas drásticas”, declarou. 

Governador Wellington Dias (PT) (Foto: Ricardo Morais/ OitoMeia)

Wellington Dias pontuou que a principal estratégia do Governo contra a Covid-19, e contra as variantes da doença, perpassam pela vacinação. O governador anunciou esperar que até o mês de outubro toda a população acima da faixa etária de 18 esteja imunizada, e que neste mesmo período aqueles menores idade e com comorbidade também estejam começando a receber a primeira dose da vacina.

“Integrado com os municípios, o que queremos é alcançar até o mês de outubro, alcançar toda a população com mais de 18 anos vacinada com a primeira dose, já vacinando abaixo de 18 anos com comorbidade, e com isso evitar que tenhamos qualquer variante do coronavírus causando problemas, adoecimento e óbito. Sonho para que tenhamos cada vez mais dias com zero óbito”, disse. 

oito meia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *